Header Blog do Max

   

 Rachaduras: saiba identificar os riscos

Aprenda a diferenciar as rachaduras e propor a melhor solução

Rachaduras merecem sempre atenção. Elas podem ser superficiais e afetar apenas a estética do ambiente ou estruturais, que podem provocar até mesmo o colapso da estrutura. Confira neste post as principais formas de diferenciá-las e propor a melhor solução para seu cliente. 

Profundidade e direção

Uma forma de já começar a avaliação da rachadura é analisar sua profundidade e direção. Rachaduras na diagonal e profundas costumam estar ligadas a problemas estruturais e devem ser avaliadas por profissionais autorizados rapidamente, pois trazem o risco de desabamento.

Já as trincas rasas e na vertical ou horizontal geralmente não oferecem riscos, mas também devem ser avaliadas. Se forem realmente superficiais, basta preenchê-las com curativos flexíveis, aplicar massa corrida e pintar. 

 

Veja também: Acabe com a infiltração em ralos

Nomenclatura correta das rachaduras

Um ponto interessante ao tratar do assunto é saber as diferenças entre trinca, fissura e rachadura. 

  • Fissura:  geralmente atinge a pintura e o revestimento, é fina, superficial e alongada;

  • Trinca: as trincas atingem a estrutura da parede e já podem trazer riscos;

  • Rachadura: têm aberturas maiores, acentuadas e mais profundas. Pode possibilitar a passagem de luz, água ou vento.

Qualquer que seja o caso, todos tipos de trincas, fissuras ou rachaduras devem ser avaliados e solucionados. Além da questão estética superficial, rachaduras podem indicar graves problemas estruturais e levar ao colapso do imóvel. 

Continue acompanhando o Blog do Max! Até a próxima!

Você também vai querer ver:

Ferramentas indispensáveis para todo marido de aluguel

Revitalize e proteja a madeira

assinaanewsletter          seloobraecompromisso       facebook instagram youtube