Sapata: o que é, para que serve e como usar na construção civil

Você sabe o que é uma sapata na construção civil? 

Embora seja um elemento desconhecido para grande parte das pessoas que não atuam na área, se você trabalha com projetos de fundação deve saber da importância das sapatas.

As sapatas são usadas para receber a carga dos pilares e distribuí-las através do solo, reforçando toda a estrutura de um edifício ou residência.

É possível encontrar sapatas produzidas nas dimensões exatas e prontas para serem usadas. Com a compra sob medida, é bem mais fácil começar a obra no seu canteiro.

No texto a seguir, respondemos as principais dúvidas sobre sapata e quais as vantagens do uso. 

Confira!

Leia mais: Janela Para Quarto: Tipos, Quando e Como Trocar e Escolher

O que é sapata?

A sapata é a parte mais larga e inferior de um alicerce. Ela é um elemento de fundação superficial, de concreto armado, dimensionado de modo que as tensões de tração resultantes sejam resistidas pelo emprego de armadura especial.

Também podem ser definidas como estruturas de volume utilizadas para transmitir ao terreno as cargas de fundação, no caso de fundação direta.

Ou seja, a sapata é uma parte da fundação de extrema importância, pois ela faz a sustentação do peso da construção, aumentando a distribuição de carga no solo.

Dessa forma, a segurança e resistência dos mais variados tipos de obras passam a estar mais garantidas.

De maneira geral, as sapatas têm uma planta quadrada, retangular ou trapezoidal. Ela é indicada caso as sondagens de reconhecimento do subsolo indiquem a presença de argila rija e outras situações.

Para construir uma boa sapata, é fundamental o uso do concreto e da ferragem e o seu interior deve ser constituído de malha de ferro.

Qual a importância de uma sapata na obra?

Qual a importância de uma sapata na obra

Como vimos, a sapata é uma das partes da fundação, ou seja, ela é utilizada para dar sustentação ao peso da obra e impedir que a construção sofra com as intempéries do tempo.

Embora existam diversos tipos de sapatas, todas elas são indicadas para áreas de solo estável e de alta resistência nas camadas superficiais.

Além disso, todas elas recebem um concreto armado, ou seja, no seu interior, existem barras de aço ou armaduras capazes de resistir aos esforços de tração, flexão e torção.

Se bem projetadas, elas conseguem suportar cargas elevadas que outros tipos de fundação, como as vigas, blocos e radiers, não conseguem.

Elas também têm um baixo custo de produção, facilidade na execução e ampla versatilidade - já que podem ter uma base em planta retangular, quadrada ou trapezoidal.

Trata-se de um elemento fundamental para qualquer obra, pois a fundação do imóvel vai garantir que ele permanecerá seguro por muitos anos tanto para os moradores quanto para os demais usuários do espaço.

Quais os principais tipos de sapata e suas indicações?

Confira a seguir os principais tipos de sapata:

Sapata isolada

A sapata isolada é um elemento de concreto de forma piramidal retangular nos pontos que recebem as maiores cargas dos pilares.

As formas que a sapata isolada pode ter numa planta são muito variadas, entretanto, a retangular é a mais comum.

Como ficam isoladas, essas sapatas são interligadas pelo baldrame, fazendo com que seja um dos tipos de fundação mais simples e comuns na construção civil.

Mesmo assim, ela é indicada para a composição de fundações assentadas em terrenos firmes.

Sapata corrida

A sapata corrida, por outro lado, é como se fosse uma pequena laje armada que é colocada ao longo da alvenaria e que recebe o peso das paredes, distribuindo-o por uma faixa maior do terreno.

Ela está sujeita à ação de uma carga distribuída linearmente ou de pilares ao longo de um mesmo alinhamento.

Esse tipo de sapata é muito comum em construções de pequeno porte, sendo utilizadas em casas e edificações de baixa altura, galpões, muros de divisa e de arrimo, paredes de reservatórios e piscinas e outros.

Geralmente, não existe a necessidade de utilizar máquinas especiais para a escavação  desse tipo de sapata.

Assim como a sapata isolada, ela também é indicada para a composição de fundações assentadas em terrenos firmes.

Sapata associada

Já a sapata associada, também conhecida como sapata combinada, é aquela comum a mais de um pilar, por isso o nome.

Ou seja, ela transmite ações de dois ou mais pilares, sendo utilizada como uma alternativa quando a distância entre duas ou mais sapatas é muito pequena.

Esse tipo de fundação é superficial, podendo ser projetada com ou sem uma viga de rigidez.

Ela pode ser dividida em sapata associada retangular, alavancada e trapezoidal. Tanto a retangular quanto a trapezoidal são mais utilizadas em divisas, quando o espaço é menor do que a dimensão da mesma.

Sapata de divisa ou Sapata Alavancada

A sapata de divisa, ou sapata alavancada, é dimensionada com uma viga de equilíbrio, pois a base da sapata não coincide com o centro de gravidade do pilar.

Essa distância acaba gerando um momento fletor, que precisa ser combatido e é aí que a sapata de divisa entra.

Portanto, ela é mais utilizada em divisas de terrenos ou em estruturas próximas a algum obstáculo. A viga de equilíbrio permite transmitir os esforços resultantes entre o pilar e a sapata para o restante da estrutura, preservando-a.

Normas da ABNT sobre tamanho e profundidade da sapata

Normas da ABNT sobre tamanho e profundidade da sapata

Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), existe um tamanho e uma profundidade ideal e recomendada para as sapatas, que estão presentes na NBR 6122 sobre Projeto e execução de fundações.

Em primeiro lugar, a profundidade deve ser de acordo com o relatório de sondagem do solo e não deve ser superior a 2 metros.

Além disso, quando necessário, é preciso fazer o esgotamento da água e verificar se o solo previsto para a cota de apoio é compatível com a capacidade de carga do projeto.

Recomenda-se que a dimensão mínima da sapata seja de 60 cm a 80 cm e que tenha uma profundidade mínima de 1,5 metros.

Tipos de materiais para produção de sapatas

Confira a seguir os principais materiais utilizados para a produção das sapatas:

  • Concreto (cimento, areia, brita, água e aditivos);
  • Aço para a armadura;
  • Caixaria ou formas de madeira, que devem ser ou de pinus, compensado naval ou compensado resinado;
  • Forma metálica.

Leia mais: Traços para reboco: entenda os tipos e aprenda a calcular

Vantagens da sapata

Como vimos, todos os tipos de sapatas oferecem vantagens na hora de fazer a fundação de uma obra. Dentre os outros pontos positivos do uso das sapatas, podemos destacar:

  • Custo baixo;
  • Rapidez na execução;
  • Capacidade de construção sem equipamentos;
  • Capacidade de construção sem ferramentas especiais;
  • Elas suportam grandes cargas quando comparadas a outros tipos de fundação;
  • Consomem pouco concreto.

Entretanto, apesar dessas vantagens, é importante garantir que você está utilizando o tipo de sapata certa para a sua construção e, para isso, é necessário fazer uma análise do solo antes de qualquer coisa.

Lembre-se: as sapatas são indicadas para regiões onde o solo é estável e apresenta boa resistência nas camadas superficiais.

Passo a passo: como utilizar a sapata corretamente?

Passo a passo: como utilizar a sapata corretamente

A fundação de uma construção é um dos processos mais importantes de uma obra, por isso, é fundamental conhecer como a sapata deve ser usada corretamente, para evitar prejuízos na estrutura do projeto. 

Abaixo, listamos o passo a passo de como usar a sapata:

  1. Escolha o tipo de sapata de acordo com a necessidade de sua obra;
  2. Escave a área que irá receber as sapatas até a cota de apoio. É importante reforçar que a profundidade de escavação não deve ser nunca inferior a 1,5m;
  3. Após escavar a área, é importante que ela seja compactada;
  4. O próximo passo é depositar uma camada de concreto na área, com apoio de uma régua e colher, para evitar que a umidade do solo prejudique a armadura da sapata. O ideal é que essa camada tenha cerca de 5cm de espessura;
  5. Com a vala pronta, inicie a marcação dos pilares. Para isso, use estacas de madeiras nos pontos indicados no projeto de fundação. Em seguida, deve ser colocada as formas de rodapé da sapata. Essa etapa exige bastante atenção para não ter desperdício de perda de concreto;
  6. Insira as armações de acordo com a marcação do projeto, tomando cuidado para que fiquem alinhadas. Observe que as sapatas devem ser fixadas aos ferros de arranque do pilar. Para isso, você deve usar arame recozido;
  7. Após a concretagem das sapatas, devem ser montadas as cintas onde serão utilizadas as colunas prontas na posição horizontal. Após o processo de cura do concreto, as fôrmas de madeira podem ser desmontadas.

Quais os cuidados importantes com as sapatas?

Em primeiro lugar, para que a sapata tenha todas as vantagens esperadas, é fundamental tomar cuidado com o nivelamento.

Você nunca pode se esquecer de revestir a escavação com uma camada de concreto magro para impedir a transferência da umidade do solo para a fundação.

Outra orientação é aplicar uma camada de argamassa  que contenha um impermeabilizante sobre a fundação para evitar a umidade.

Além disso, você deve alinhar os centros de gravidade do pilar e da sapata. Qualquer falha nesse processo resulta em riscos para a estabilidade da estrutura.

As formas de madeira utilizada também devem ter espessura de 1” ou, no caso da madeira compensada resinada, de 10 a 12 mm.

É necessário que as formas sejam resistentes às pressões do lançamento e da vibração do concreto e com uma fixação rígida. Por isso, o ideal é que elas sejam feitas de pinus, compensado naval ou compensado refinado.

Por fim, a cota de obra deverá orientar o posicionamento e a execução da sapata. 

Caso seja necessário aprofundar a escavação, a diferença entre a cota de assentamento e a cota da sapata pode ser preenchida com uma manta de concreto, com FcK igual a 10 Mpa e espessura mínima de 5 cm.

Conclusão

A sapata é um elemento muito importante para a etapa de concretagem da fundação de construções, por isso, o uso exige bastante conhecimento técnico, para evitar danos ou até mesmo acidentes estruturais nas edificações.

O uso das sapatas nas obras são interessantes, pois não exigem equipamentos especiais. Podem ser usadas manualmente, por conta da profundidade que não exige máquinas ou equipamentos específicos.

Além do uso de sapatas, as obras de pequeno porte também podem se beneficiar do uso de colunas prontas, que otimizam essa etapa da construção com a mesma qualidade.

Aqui, é importante observar o que determina o projeto da construção para decidir pela escolha de melhor qualidade e custo-benefício. Afinal, obra é compromisso sério com a segurança de todos!

Confira outros conteúdos e dicas de obras aqui no blog do Obramax!